segunda-feira, 16 de abril de 2012

A música suave de Zé Manoel ganha o mundo

Matéria publicada no Jornal do Commercio, no dia 15 de abril de 2012

A música suave de Zé Manoel ganha o mundo
Artista petrolinense se prepara para divulgar seu primeiro trabalho pelo País inteiro e até mesmo fora dele, na Europa

Rafael Dantas

O centenário Teatro Santa Isabel, no Recife, será o palco de lançamento do novo CD do cantor e compositor Zé Manoel, no dia 5 de maio. Com letras de sua autoria, em um som suave, entre sambas, jazz e chorinhos, o músico vai construindo sua carreira e ganhando admiradores na capital pernambucana e no Nordeste. Com a conclusão do seu novo disco – financiada pelo prêmio do Festival PRE AMP, vencido pelo petrolinense em 2011 – os horizontes da sua música começam a se expandir, com a perspectiva de fazer shows fora do País a partir deste ano.

Das aulas de piano aos 9 anos com a professora Lúcia Costa, passando pelos Matingueiros e pelos festivais em Petrolina e Juazeiro foi que Zé Manoel construiu as suas referências culturais e artísticas que desaguam no seu primeiro CD. E de muito escutar Tom Jobim, Dorival Caymmi e Chico Buarque, que ele criou e selecionou as suas composições na produção. “Esse segmento foi o que escolhi para essa fase da minha carreira. A escolha de uma música foi chamando a outra”, disse Zé Manoel.

A escolha das músicas e produção do disco durou praticamente o ano passado inteiro. Quis o destino que estivessem ao seu lado nessa empreitada dois outros petrolinenses, os produtores musicais Albérico Júnior e Carlinhos Borges, que é dono do Estúdio Carranca, onde o CD foi gravado. Mesmo antes do lançamento, o disco já começou a dar frutos aos jovem cantor de 31 anos. Através do produtor Sérgio Pezão, ele assinou contrato com a agência francesa VO Music, que irá representá-lo no agendamento de shows na Europa e América do Norte.

Na listinha de artistas da VO Music estão os brasileiros Milton Nascimento, a Spok Frevo Orquestra e Marcelo D2, além de cantores de mais 13 países. Com o novo contrato as perspectivas para 2012 são as melhores. Da realização de cerca de dois shows por mês na capital pernambucana, o cantor pretende turbinar a sua agenda de apresentações neste ano. “Em 2012 a meta é trabalhar bem o novo disco, circulando pelo Brasil e Europa, através da nova produtora, além de me estruturar para participar de mais festivais e fazer mais shows aqui mesmo no Recife”, projeta Zé Manoel.

Petrolina como forte inspiração
Aposta o trouxe de volta para a composição, um traço destacado dele no disco, pela qualidade e quantidade

Da Redação

Se seu trabalho como pianista começou na infância, foi aos 18 que o petrolinense começou a compor, por volta de 1998. Das suas primeiras composições, afirma ele, quase nada restou. Entre festivais e shows deixou de escrever por cerca de 5 anos. Retornou a fazer suas músicas por uma aposta com o amigo Eugênio Cruz. “Apostamos quem faria a melhor música para a professora cantar no estilo antigo do rádio”, diz. Da brincadeira, a sua música acabou levando o segundo lugar no Festival de Canções de Juazeiro, em 2004.

A aposta o trouxe de volta para a composição, um traço destacado dele no disco, pela qualidade e quantidade. Das 14 canções que fazem o CD, apenas Samba Manco – de Kiko Dinucci – não é de sua autoria. E se ele está feliz no Recife, que considera um dos polos culturais mais importantes do País, é a sua terrinha que inspira as canções. “O cenário que falo nas músicas remete muito à Petrolina e para toda a região, sem esquecer do Rio São Francisco. Uma vez me perguntaram porque falo de rio e não de mar nas músicas. É justamente porque é essa a minha referência”, comentou.

Além das composições, o instrumental do novo disco de Zé Manoel segue o mesmo padrão de qualidade. A banda do músico é composta por Rostan Júnior (bateria), Lara Klaus (percussão), Israel Silva (baixista) e Cecília Pires (flautista). No vocal, o CD contou com participações especiais do Grupo Bongar e dos cantores Mavi Pugliesi, Isadora Melo, Carol Costa e Soraia Bandeira.


3 comentários:

Kleyton Nunes disse...

Orgulho-me de ter vivido o desabrochar dessa flor que veio de forma melodica, humilde, contemporânea, Zé amigo você merece reconhecimentoesse que Deus te mantenha inspirado por muitos e muitos anos; feliz com a carreira, sucesso e paz.

Jessika Engel disse...

Desde seu show no RecBeat me apaixonei por suas músicas.No início achei parecido com Marcelo Camelo, e por isso escutava, mas depois foi fácil perceber seu estilo é próprio e autêntico, e isso me fascinou ainda mais. Parabéns! Com certeza estarei em seu show no Santa Isabel.

Polly disse...

Ai, Zé, que felicidade, viu?! Você merece demais! E a gente aqui em João Pessoa continua emanando muita luz pra que essa tua trajetória continue, firme, forte e linda! Arrasa, amigo!!!!!!! Bjo