segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Rápido balanço

Muitas vezes me esqueço, reclamão da vida que sou, que a apenas dois anos, fiz o meu primeiro show como cantor (no cruzeiro marítimo onde trabalhei por 3 meses). Fui contratado pela CVC para ser o pianista da banda de Gean Ramos, cantor e compositor pernambucano, e nos dias em que ele não podia se apresentar conosco, por estar participando dos musicais que começavam todos os dias às 20 horas no teatro do navio, eu cantava em seu lugar. O problema é que eu só sabia cantar boleros e sambas do tempo da vitrola. A terceira idade do cruzeiro me amava. Já dos filhos e netos, não posso dizer o mesmo. rs
Enfim... Foi um aprendizado. Perdi o medo e passei a admitir, eu gosto de cantar. Eu quero cantar.
Antes disso, havia me apresentado e ganhado festivais, mas num festival de composições, a gente só canta uma música e tchau. É bem diferente de se fazer um show inteiro.
Desci da temporada no navio decidido. Quero gravar o meu CD!
Lembro como se fosse hoje. Estava em São Paulo, saí sozinho pra tomar uma cerveja. Pedi um papel e uma caneta ao garçon e comecei a fazer o repertório. Um pouco parecido com o que é hoje. Voltando a Recife, procurei Albérico Júnior, amigo de infância e parceiro da música. Ele topou fazer a produção musical comigo... Por volta de um ano depois , chegamos ao que temos hoje.
O CD não está finalizado como gostaríamos. Não tem um piano acústico de verdade, não tem as cordas que eu gostaria... Mas hoje vejo que ele está onde e como deve estar. É como eu estou também. Estamos amadurecendo os dois, aprendendo, nos apurando.
Tive grandes oportunidades em 2009, dei vários saltos altos e muitas vezes me esqueço: Fazem apenas dois anos que esse sonho começou e tanta coisa boa já rolou. Mas nada disso tem acontecido por acaso. Tenho suado e perseverado. Estou sempre acompanhado por pessoas que me apóiam, me dão bronca quando preciso, um empurrãozinho ou ão, quando bate o desânimo, me dão colo e condições de correr atrás do meu objetivo profissional com a certeza de que posso contar com o apoio deles.
Esse ano reclamei muito da falta de grana, desanimei várias vezes... Mas consegui chegar em 2010 com um saldo super positivo. Se por um lado faltou grana, sobrou carinho e boa vontade dos amigos e da família; reconhecimento do meu trabalho por pessoas que passaram a conhecer esse ano; poucos, mas significativos shows em circuitos bacanas, participei e conhecí muita gente boa em festivais pelo Brasil; fiz parcerias, como com o escritor e letrista gaúcho Sergio Napp, que tive a honra e o prazer de conhecer esse ano... E tantas outras coisas, que não dá pra citar todas.
Foi um ano de muito progresso.
2010 chegou! É continuar trabalhando, lapidando, apredendo e sempre agradecendo!

Osculos e amplexos!

3 comentários:

Camila disse...

agora sim...
:)

Polly disse...

Tu merece tudo isso e mais, e mais, e mais, e mais!!!
Muito bom vê-lo crescer na tua arte, é bom fazer parte da tua caminhada, tenho a carteirinha de fã!!

Beijo!

Ze Manoel disse...

Polly, a minha escritoratriz preferida!
Brigado pelo comentário, Camila e Polly! :-)
Beijos!